sábado, 13 de agosto de 2011

BR 135 2011

Em janeiro de 2011, apenas quatro meses apos disputar a Spartathlon na Grécia, fui tentar a minha terceira participação na ultramaratona Brazil 135. As duas ultimas edições de 2009 e 2010, consegui finalizar em 11º lugar, com os tempos de 39h em 2009 e 37h no ano seguinte.
Fui para abaixar bem o meu tempo, independente de colocação. Essa era minha meta, me acompanharam mais uma vez, o Paulo Tavares, cinegrafista e piloto, porque lá é um verdadeiro rally, o José Roberto, apoio e pacer, e a Soraya Serrão, apoio e esposa.
Estava muito confiante e tranquilo, a previsão era de muita chuva, mas a realidade foi bem diferente, desde o momento da largada fez um calor com sol muito forte, não me incomodei porque eu estava treinando todos os dias no calor, mas não contava que a minha hidratação não seria adequada para a temperatura que fazia, mesmo assim estava muito adiantado em relação ao tempo da edição anterior, quase 3 horas mais rápido.
Por volta de 9h da noite eu já tinha corrido 100km detalhe somente em montanhas, e muito calor. Duas horas depois parei para comer em um restaurante da estrada onde existe um posto de controle, Inconfidentes. Como já não estava muito bem, comecei a passar muito mal, caimbras e vomitos, descansei uns 15 minutos e resolvi continuar, com muita dificuldade chegamos a Borda da Mata umas 4h da manhã, mesmo fraco ainda estava 3h mais rápido.
E saímos eu e o Zé Roberto em direção a Tocos do Moji, muita subida e o mal estar não passava, nada parava na minha barriga, até a água e vomitava, consegui me arrastar muito fraco até Tocos, E mesmo terrivelmente cansado ainda cheguei 2h mais rapido que o ano de 2010. Mas, infelizmente não dava mais, conversei com a equipe e com a minha esposa e decidimos parar não acontecer algo pior, paciência, fica para uma próxima vez, encerrei no km 153 com 25 horas de prova. Dói, mas a saúde vem primeiro lugar. Logo mais tem mais. Abraços.

Um comentário: